Conheça o trabalho dos cães-guia.

Olhos de 4 patas:

O dia mundial do cão guia ocorre no final do mês de Abril. Alguns dizem que é no dia 25, outros no dia 27 e outros dia 29. Independentemente do dia certo estes animais excepcionais merecem uma homenagem.

Cães-guia são geralmente treinados para acompanhar, proteger e ajudar deficientes visuais porém são muito usados também para auxiliar autistas com os quais realizam um ótimo trabalho.

São animais de temperamento dócil e controlado, extremamente inteligentes, que passam por treinamento rigoroso. Devem sempre obedecer aos comandos do acompanhante ignorando completamente distrações (como pessoas, cheiros e outros animais). Deve reconhecer e evitar caminhos com obstáculos, ajudar a subir escada, pegar elevador ou acessar transporte público, entre outras coisas.

Veja esta matéria da Record News sobre estes animais incríveis:

Principais Raças:

As raças mais comuns de cães-guia são Labrador, Golden Retriever e Pastor Alemão que tem características

essenciais para este trabalho: força, inteligência, afabilidade e adaptabilidade.

Pastor Alemão
Pastor Alemão

Isso não significa que TODOS os cães destas raças podem ser cães-guia. Alguns filhotes podem não ser ideais para a função. Cada indivíduo tem uma índole e nem sempre são super concentrados e calmos. Já imaginou o Marley (Labrador do livro/filme “Marley e eu”) sendo cão guia?!

Cena do filme Marley e Eu
Cena do filme Marley e Eu

Os instrutores de cães-guia, justamente, procuram qualidades essenciais em seus alunos, como:

  • fácil aprendizado;
  • concentração;
  • boa memória;
  • inteligência;
  • saúde excelente.

São automaticamente excluídos para esta função cães que apresentam problemas de socialização com outros animais e tendência à agressividade.

Treinamento:

O cão guia deve passar por um longo período de treinamento (mais ou menos dois anos) em escolas especiais. Estas escolas tem a função de treinar os cães, novos instrutores, analisar a melhor combinação entre cão guia e acompanhante.

Quando o cão chega à idade avançada (8-10 anos), ele é aposentado e o instituto se responsabiliza de achar um novo lar para o velhinho.

Atenção: respeite o trabalho do animal e o bem estar do acompanhante.

Ao encontrar uma pessoa acompanhada por um cão guia, por questões de respeito e civilidade devem-se tomar alguns cuidados:

  • Jamais toque em um cão guia que estiver utilizando sua guia. Ele poderá se distrair e falhar em sua função;
  • Caso esteja acompanhado de algum animal, controle-o para que ele não interaja com o cão-guia;
  • Nunca ofereça alimentos a um cão-guia.
  • Caso haja a necessidade de abordar uma pessoa com deficiência visual que esteja acompanhada de um cão-guia, dirija-se a ela e não ao animal.
  • Se um deficiente visual acompanhado de um cão-guia lhe perguntar como chegar a algum lugar, dê informações claras para que ele possa passar os comandos corretamente ao animal;

Segue mais um vídeo interessante sobre o assunto. Trata-se de entrevista do Jô de 2011 com o pessoal do Instituto Cão Guia Brasil:

Como conseguir mais informações sobre cães-guia:

Algumas instituições brasileiras focadas no treinamento de cães-guia são:

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *