Tosse dos Canis – Causas, tratamento e prevenção.

No inverno costumamos ficar, sem dúvida, mais suscetíveis a problemas respiratórios como resfriados e tosse. Os cães também não estão imunes aos problemas ligados à estação mais fria do ano. Assim sendo, é muito comum o desenvolvimento da tosse dos canis.

Caso tenha o costume de deixar seu cachorrinho em hotelzinho, escolinha durante um período do dia, ou durante as férias, pode ser interessante ler um pouco sobre este problema, pois trata-se de uma doença comum em qualquer lugar onde os animais fiquem aglomerados como canis (de onde vem o nome), hotéis, abrigos, lojas.

tosse dos canis

O que é a Tosse dos Canis

A Tosse dos Canis, também conhecida pelo nome traqueobronquite infecciosa canina, é uma doença causada mais frequentemente pelo vírus da parainfluenza ou pela bactéria Bordetella bronchiseptica. Provoca infecção respiratória altamente contagiosa entre cães e tem proliferação muito rápida. Pode ser transmitida pelo ar (através da tosse e espirros) e através de acessórios como pratos, bebedouros e brinquedos contaminados.

A doença se apresenta em duas formas: leve (que causa tosse e eventualmente corrimento oculonasal) ou a forma severa (que causa tosse, corrimento nasal, febre, anorexia é pode levar a óbito filhotes e animais debilitados)

Tratamento:

Depois de avaliar cuidadosamente o animal, o veterinário indicará o melhor tratamento para a Tosse dos Canis de acordo com os sintomas, o agente causador e nível da doença.

Casos mais severos de Tosse dos Canis podem apresentar sintomas muito similares aos do inicio de outra doença infecciosa chamada Cinomose. Por isso, nestes casos, o veterinário fará exames laboratoriais para ter mais clareza sobre o quadro do paciente.

O veterinário poderá, portanto, prescrever antibióticos, anti-tussígenos, inalações e fluidoterapia em casos de desidratação.

Atenção: Não automedique seu animal. Muitos dos medicamentos usados na medicina humana, não podem ser utilizados para animais.

Como prevenir:

A melhor forma de prevenir esta doença é através da vacina que pode ser aplicada por via intranasal quanto injetável. A intranasal, entretanto, é a mais usada por fornecer imunidade local e proteção mais rápida.

Outros cuidados que podem ser tomados tanto em casa quanto em locais onde são abrigados animais são:

  • Evitar confinamento com superlotação de animais;
  • Manter ventilação frequente;
  • Isolar animais doentes;
  • Higiene cuidadosa dos pratos, bebedouros, brinquedos.
  • Higienizar o local com o uso de desinfetantes a base de cloro ou clorexidina (cuidado para que o animal não tenha acesso a estes produtos).

Mais cuidados? Alimentação de qualidade, água fresca, abrigo coberto e, sem dúvida, uma boa dose de amor.  

Este artigo foi escrito originalmente para a revista Senhora Atual, a primeira revista de moda no Brasil para mulheres 50+

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *