Castração – conheça a importância desse procedimento.

Falar sobre castração gera muita polêmica. Muita gente, de fato, ainda acredita que o animal pode sofrer por nunca ter tido uma vida sexual ou que ele pode adquirir uma propensão maior a desenvolver doenças, engordar, ficar preguiçoso, deprimido e frustrado. Outros imaginam até que seja um procedimento cruel associado à mutilação animal. Não é bem assim.

A castração é um procedimento cirúrgico muito simples e rápido. Trata-se da remoção do útero e ovários em fêmeas (ovariohisterectomia), e a retirada dos testículos em machos (orquiectomia). É altamente recomendado pelos veterinários, pois proporciona muitos benefícios aos animais, seus donos e para toda a sociedade.

A relação entre castração e o abandono de animais

A importância da castração está muito relacionada à questão de abandono de animais.

Primeiramente, é importante pensar no seguinte cálculo. Uma cadela consegue gerar de 10 a 15 crias e, se seus descendentes continuarem a se reproduzir, podem atingir o número de 64 mil nascimentos, em seis anos. Esse contingente ainda é maior em felinos.

Estima-se que existam mais de 200 milhões de cães abandonados no mundo, um número que evidencia a dimensão de um problema global que merece a atenção de médicos veterinários, de órgãos governamentais e de toda a população.

Apenas no Brasil, segundo uma pesquisa realizada pela Organização Mundial da Saúde, há cerca de 30 milhões de animais abandonados. Destes, 20 milhões são cachorros, enquanto 10 milhões são gatos.

Portanto, a castração, impede principalmente a procriação indesejada, o que acaba por influenciar diretamente no número de animais abandonados, reduzindo consideravelmente a sua quantidade e impedindo, por sua vez, que estes acabem sofrendo maus tratos.

Benefícios da castração

Castrar um animal é um grande ato de responsabilidade social e amor. Além de impedir a procriação indesejada e evitar o abandono de mais animais, o procedimento ainda proporciona outros benefícios.

Prevenção de doenças.

Um dos grandes benefícios da castração é a eficácia na prevenção de doenças como desenvolvimento de certas neoplasias (como mamária ou de próstata) e infecções uterinas comuns em fêmeas (piometra). 

Além disso, a castração previne a transmissão de doenças geneticamente transmissíveis como epilepsia, displasia coxofemural, catarata juvenil, entre muitas outras.

Este é um ponto importante a ser discutido, já que gera muita polemica entre criadores.

Se o animal for de raça, muito provavelmente a procriação será desejada pelo tutor. Entretanto, é  muito importante que o proprietário tenha responsabilidade e bom senso permitindo o cruzamento apenas entre animais saudáveis para não transmitir doenças genéticas. Caso o animal possua alguma patologia hereditária, recomenda-se a castração.

É importante pensar bem antes de cruzar animais doentes com a intenção de comercializar seus filhotes. Além de prejudicar a vida de animais, o criador poderá ser submetido, justamente, a processos judiciais.

Mudanças comportamentais.

Além dos benefícios na saúde, a castração pode ter influência no comportamento dos animais, pois:

  • Reduz a frustração sexual,
  • Pode diminuir a agressividade tornando tanto cães quanto gatos mais dóceis e facilitando a sua interação social,
  • Reduz a necessidade de fugas, e com isso o risco de atropelamentos e brigas;
  • Pode acabar com as ações típicas de cães machos como montar em pessoas e urinar em local inapropriado para demarcar território.

Todos esses benefícios podem variar de um animal ao outro, já que cada um possui temperamento que pode variar em dependência de raça, histórico de vida, entre outros fatores. Além disso, a alteração comportamental dependerá muito, também, da idade do animal ao passar pelo procedimento.

O procedimento da castração

A castração é um procedimento super comum, seguro e rápido. No entanto, trata-se sempre de uma cirurgia, portanto, primeiramente, o animal passará por uma consulta com o médico veterinário de confiança que solicitará alguns exames de rotina para verificar a saúde do animal.

Uma vez constatado que o animal está apto, marca-se a cirurgia com recomendação de jejum alimentar de pelo menos 12 horas. 

Em geral, a castração de cães machos é indicada ao atingirem sua maturidade sexual, ou seja, por volta de um ano de vida. Em contrapartida, em fêmeas, o ideal é que seja realizada a castração antes do primeiro cio, ou seja, por volta do quinto mês de vida. 

O método usado em cirurgia irá depender do sexo do animal. Em fêmeas chama-se ovariohisterectomia (remoção completa do útero e ovários), e em machos orquiectomia (remoção completa dos testículos).

Os animais costumam ter uma recuperação muito rápida e, geralmente, voltam para casa no mesmo dia. Podem sentir dores pós cirúrgicas, e por esta razão o veterinário ainda irá prescrever analgésicos para preveni-las ou aliviá-las.

É muito importante, nesta fase, cuidar bem dos pontos deixando a região sempre protegida, limpa e seca. Por este motivo, roupinhas cirúrgicas são essenciais neste momento.  O uso de colar elisabetano para cães mais agitados, com ou sem roupinha, pode ser necessário.

Mitos sobre a castração.

Castrar frustra o animal– Cães e gatos não ficam frustrados ou tristes por esta razão. Por outro lado, animais que não forem castrados podem sofrer frustrações caso sintam um animal do sexo oposto na proximidade sem poder cruzar. Isso poderá gerar uma frustração e um estresse constante na vida destes animais.

O animal castrado pode apresentar sobrepeso -Alguns animais têm tendência ao aumento de peso após a castração. Isso ocorre, possivelmente, devido à diminuição da taxa metabólica basal depois do procedimento cirúrgico. 

Além disso, podem estar envolvidos também o aumento da ingestão de alimentos e sedentarismo, sendo as fêmeas castradas mais predispostas do que os machos castrados ao ganho excessivo de peso.

Por este motivo é importante estabelecer uma rigorosa rotina de exercícios físicos. É possível que seja necessária a alteração da dieta do animal, sempre com acompanhamento do médico veterinário. Já existem, inclusive, alimentos no mercado indicados para cães e gatos castrados.

Quando é melhor castrar meu pet?

Em geral, sugere-se que a castração de machos seja feita quando o animal atingir a maturidade sexual, ou seja, por volta de um ano de vida. Já as fêmeas devem ser castradas, se possível, antes do primeiro cio, ou seja, por volta do quinto mês de vida.

A castração é um procedimento rápido e simples, além de ser um ato de grande responsabilidade e até mesmo de amor.

Últimas considerações

É importante, enfim, esclarecer que a castração NÃO é uma cirurgia cruel, tampouco mutilação animal. A cirurgia de castração é simples e rápida, além de ser realizada com anestesia geral. O pós operatório também costuma ser bastante tranquilo, principalmente em animais jovens.

NUNCA aplique em seu animal hormônios para impedir a gestação. Esse procedimento sim é uma crueldade pois provocará inúmeras doenças no animal.

Converse sempre com seu médico veterinário de confiança.



Valentina Vecchi

Médica veterinária, com especialização em Clinica e Cirurgia e Acupuntura Veterinária. Atualmente, atende com acupuntura em São Paulo e escreve para seus blogs pessoais e outros sites.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

www.000webhost.com