Cinomose – saiba mais sobre essa doença que pode ser fatal.

A cinomose é uma doença infecciosa viral multissistêmica causada pelo vírus da família Paramyxovirus, do gênero Morbilivírus. É, certamente, uma das doenças que mais causa mortes em cachorros.

Transmissão da Cinomose

É extremamente contagiosa, podendo ser facilmente transmitida de forma direta (por contato com secreções do nariz e da boca) ou de forma indireta (pelo ar).

ciclo da cinomose

Seus principais sintomas, em seu estágio inicial são:

  • Febre
  • Indisposição
  • Perda do apetite
  • Aumento de secreção nasal e ocular
  • Dificuldade respiratória
  • Diarréia
  • Vômitos
  • Emagrecimento

No seu quadro mais grave aparecem também sintomas neurológicos, tais como, tremores e, enfim, falta de coordenação motora.

Mesmo quando tratados a tempo, os animais podem, todavia, permanecer com seqüelas neurológicas. A taxa de mortalidade varia, mas é mais alta em cães jovens. Além disso, sabe-se que é uma doença que tem maior incidência durante o inverno.

Evolução da Cinomose

O período de incubação varia de 3 a 7 dias. Os cães infectados desenvolvem dois picos febris. O primeiro pico febril é entre o 2° e o 6° dia. O segundo pico febril ocorre entre o 8° e o 9°dia, onde a temperatura pode chegar a 41°C. Nessa fase, além disso, são comuns a anorexia, conjuntivite e depressão.

Todavia, a doença pode, ainda, evoluir em quatro fases:

Respiratória – com presença de tosse seca ou produtiva, pneumonia, secreção nasal (que comumente é provocada por infecções secundários dentre elas a bactéria Bordetella bronchiseptica), dificuldade respiratória, secreções oculares. Além disso, pode provocar febre (41°C), inflamação da faringe, dos brônquios e aumento das tonsilas.

Gastrointestinal – com vômito, diarreia eventualmente sanguinolenta (freqüentemente conseqüência de infecções secundárias), anorexia, febre.

Nervosa – com alterações comportamentais (vocalização como se o animal estivesse sentindo dor, respostas de medo e cegueira), convulsões, contração rítmica persistente e indolor mesmo durante o sono de um ou de um grupo de músculos. A mortalidade nesta fase varia entre 30% a 80%. Todavia, cães que sobrevivem a esta fase geralmente apresentam seqüelas;

Cutânea – é marcada por dermatite com pústulas abdominais hiperqueratose nos coxins podais (doença dos coxins ásperos) e focinho.

Tratamento

Infelizmente não existe um tratamento específico para a cinomose. Geralmente, existe uma associação de tratamentos que podem auxiliar na recuperação do animal. Entre elas estão:

  • Terapia de suporte com fluidoterapia, vitaminas, medicamentos para sistema neurológico e eventualmente antibióticos.
  • Acupuntura
  • Terapia nutricional

Pode se tornar ainda mais grave se o cão estiver com o sistema imunológico debilitado, pois além da disseminação do vírus, o animal pode sofrer de infecções secundárias causadas por bactérias oportunistas, podendo levá-lo à morte.

A recuperação, portanto, dependerá muito das condições físicas do animal, porte, idade, estado nutricional e de saúde geral. Mesmo assim, o tratamento pode não salvar o animal.

Prevenção da Cinomose

Por ser uma doença tão agressiva e contagiosa, o tratamento é de difícil realização e, por isso, a vacinação é fundamental.

Existem dois tipos de vacinas que protegem conta a cinomose: V8 e V10. De fato, vacinas para cachorro V8 e V10 imunizam o animal contra as seguintes doenças:

  • Cinomose,
  • Parvovirose,
  • Leptospirose,
  • Coronavirose,
  • Adenovirose,
  • Parainfluenza,
  • Hepatite Infecciosa Canina.  
  • Leptospirose (sendo que a diferença entre as vacinas V8 e V10 é que a V8 possui proteção contra duas cepas da bactéria, e a V10 possui quatro). 

Consideração final.

Lembre-se que a cinomose é uma doença que se transmite muito facilmente. Por isso, caso não haja prevenção adequada, pode atingir mais cães na mesma residência. Vacine seus cães anualmente e pontualmente. Cinomose não é brincadeira.

Valentina Vecchi

Médica veterinária, com especialização em Clinica e Cirurgia e Acupuntura Veterinária. Atualmente, atende com acupuntura em São Paulo e escreve para seus blogs pessoais e outros sites.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

www.000webhost.com