Alimentos tóxicos para cães e gatos- quais são e o que podem provocar.

Conheça um bom motivo para não ceder aos olhares pedintes…Alimentos Tóxicos Para Cães e Gatos

É muito comum que “pais de pets” cedam aos olhares pedintes dos peludos e, portanto, ofereçam a eles alimentos destinados ao consumo humano. É uma bolachinha aqui, um resto de comida lá e quando menos se espera uma intoxicação séria pode ocorrer podendo até mesmo levar o bichinho à óbito. Isso acontece pois existem alimentos tóxicos para cães e gatos.

Pois é… existem alimentos que para nós podem ser saudáveis e para eles são extremamente perigosos devido às diferenças de metabolização! Por exemplo? Cebola, alho, uva entre outros!

Principais alimentos tóxicos para cães e gatos

Chocolate:

O chocolate é um dos alimentos tóxicos para cães e gatos. De fato, contém vários nutrientes, como cafeína e teobromina. Esta última é a substancia considerada tóxica quando consumida em excesso. Provoca, portanto, grande estimulo mental e aumento no trabalho cardíaco podendo provocar arritmias. Os efeitos, sem dúvida, dependem da quantidade ingerida e do peso do cão. Cães são, certamente, mais afetados por gostarem mais deste tipo de sabor. Entretanto, gatos também podem sofrer intoxicações, porém são mais raras pois o gato não possui papilas gustativas que identificam o sabor doce.

Sinais Clínicos:

Podem ser observados náusea, vômito, diarreia, convulsões. Os sinais de intoxicação podem ocorrer dentro de 6 a 12 horas após a ingestão. Animais podem vir a óbito por intoxicação severa após 24 horas.

Xilitol:

Adoçante utilizado como substituto do açúcar (sacarose). Está presente em muitos produtos diet para diabéticos. Além disso, é muito usado na fabricação de pães, balas, gomas de mascar que prometem a prevenção de cáries. Quando ingerido por cães, é absorvido rapidamente pela corrente sanguínea causando liberação súbita de insulina, portanto provocará hipoglicemia (queda dos níveis de açúcar no sangue).

Sinais Clínicos:

tremores, prostração, perda de coordenação motora, as mucosas podem ficar amareladas, podem ocorrer hemorragias, convulsões, diarreia, coma e morte. Gatos também podem sofrer o mesmo problema, mas a ingestão desta substancia é mais rara entre os felinos.

Macadâmia:

Esta noz tão apreciada entre seres humanos tem um principio tóxico para cães e gatos ainda desconhecido.

Sinais Clínicos:

fraqueza, vomito, depressão, febre, tremores, dor e edema dos membros posteriores, paresia, rigidez de articulações, palidez das mucosas.

Cebola e Alho:

Alimentos que trazem tantos benefícios à saúde humana e que, todavia, fazem tão mal aos nossos pets. Os componentes tóxicos em todo o tipo de cebola, alho, alho poró e outros vegetais da mesma família são os sulfóxidos e sulfetos alifáticos. Estas toxinas destroem as células vermelhas do sangue  Neste caso, gatos são tão suscetíveis quanto cães.

Sinais Clínicos: vomito, diarreia, dor abdominal, perda de apetite, depressão desidratação, mucosas pálidas ou amareladas, frequência respiratória aumentada, letargia, fraqueza e urina com sangue.

Abacate:

O abacate é um fruto potencialmente tóxico para cães, gatos, aves, coelhos e outras espécies. Na verdade, neste caso, todas as partes da planta (folhas, caroço, frutos) apresentam perigo pois contém “persin”, uma toxina fungicida encontrada na planta. Esta pode causar necrose do epitélio da glândula mamária e do miocárdio segundo estudos.

Sinais Clínicos:

Edema pulmonar, efusão pleural causando dificuldade respiratória e morte. O alto teor de gordura desta fruta pode, além disso, causar pancreatite.

Uvas (frescas e passas)

Há relatos que confirmam que a ingestão desta fruta, tanto na forma fresca, quanto desidratada, pode causar lesão renal em cães e gatos. Seu principio tóxico, entretanto, é ainda desconhecido e seu mecanismo de ação ainda não foi esclarecido.

Atenção: algumas rações contém óleo da semente de uva que é um ingrediente seguro.

Sinais clínicos:

Diarreia, anorexia, dor abdominal, fraqueza, desidratação, tremores, letargia, aumento do consumo de água e produção de urina.

Bebidas alcoólicas:

Bebidas alcoólicas ingeridas por acidente ou oferecidas por brincadeira podem provocar depressão do sistema nervoso central e do sistema respiratório. Nos animais a intoxicação por álcool promove (além dos quadros que conhecemos em humanos como redução de reflexos e alterações comportamentais): ataxia, diminuição da frequência respiratória e parada cardíaca podendo, inclusive, levar a morte.

Conclusão:

– Evite dar alimentos aos seus pets que não sejam próprios para seu consumo. Lembre-se sempre que podem ser alimentos tóxicos para cães e gatos. Dê, portanto, preferencia à ração ou alimento caseiro receitado por especialista (completo e balanceado).

-Pergunte ao seu veterinário de confiança quais são os alimentos seguros para animais de estimação.

-Caso ocorra ingestão intencional ou acidental destes alimentos, entre imediatamente em contato com seu veterinário de confiança. Ele, certamente, saberá orientá-lo. Não espere até o dia seguinte pois dependendo da substância e quantidade ingerida, seu pet poderá ter sérios problemas de saúde.

 

Valentina Vecchi

Médica veterinária, com especialização em Clinica e Cirurgia e Acupuntura Veterinária. Atualmente, atende com acupuntura em São Paulo e escreve para seus blogs pessoais e outros sites.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

www.000webhost.com